Rede imóveis completa 27 anos

Trocar informações sobre compra e venda de imóveis entre as empresas, para facilitar a procura de imóveis pelos clientes. Com esse objetivo foi criada em setembro de 1993, a Rede Imóveis, associação que hoje reúne onze tradicionais imobiliárias de Curitiba para fomentar negócios e tornar-se cada vez mais excelência no atendimento aos clientes e parceria entre os colaboradores.

Rodrigo Vianna, presidente da Rede Imóveis, lembra que no início tudo era mais complexo. Por exemplo, era preciso trocar as informações via disquete, que rodava as empresas para agregar ou repassar as informações, o que era bastante complicado. “Após um tempo, surgiu a internet discada, ainda muito lenta, mas agilizava um pouco o processo porque conseguíamos trocar informações das imobiliárias em formato único”, conta.

Em seguida, chegou a internet via cabo e o portal imobiliário da Rede Imóveis, foi efetivamente a evolução que facilitou a vida de todos, não só na área de vendas, mas também de locação. Hoje a informação sobe os imóveis está acessível a todos, temos tudo integrado, das 11 imobiliárias, e conseguimos acessar mais rápido e com mais eficiência a assertividade”, explica Vianna.

Informação é tudo

Rodrigo lembra ainda do tempo em que os imóveis eram anunciados em jornais impressos, e custavam muito caro. “Eram no máximo quatro linhas, e ainda sem foto. O cliente precisava ligar para a imobiliária se quisesse ter qualquer outro tipo de informação além de quantos cômodos e se tinha garagem, lavanderia ou não. Hoje em dia, tudo está na mão do cliente, com os smartphones”, avalia o presidente da Rede Imóveis

Fotos, detalhes dos cômodos e do mobiliário já estão no anúncio do imóvel; assim a pessoa já tem o mais importante, que é a informação, e se ela contata a empresa, provavelmente já tem interesse em fechar negócio. Dessa forma, o corretor precisa estar mais conectado e mais preparado, precisa entender do produto e do negócio que está vendendo, porque a informação o cliente já tem. Ele precisa sempre oferecer o algo mais, o especial, o diferencial”, ressalta.

Outro ponto em que a Rede Imóveis funciona muito bem nessas quase três décadas, é a troca de informações e parcerias entre as pessoas, o capital humano das imobiliárias, sejam gerentes, atendentes, corretores, presidentes. “Essa parceria de forma aberta com nossas empresas ‘concorrentes’ no mercado de imóveis é muito saudável, acontece de forma tranquila, simples, transparente, o que não existiria sem a associação”, revela Vianna.

Pandemia e negócios

Para Rodrigo, a pandemia do novo coronavírus acelerou a mudança que já era inerente para as imobiliárias, que foi a digitalização dos processos e trabalhos com as informações na nuvem. “Trocamos muita informação do que podíamos fazer, do que cada empresa estava fazendo e podíamos melhorar, foi muito salutar e esse ponto é muito importante, o benchmarking, a troca de informações, e poder contar com a ajuda de seus parceiros” afirma.

“A pandemia acelerou quase todos os processos dentro da imobiliária, entre fazer um visita, um contrato de forma online. E as pessoas, clientes e corretores aceitaram essa forma de trabalhar. Pontos a melhorar temos sempre. Se pararmos no tempo ficamos para trás. Temos que buscar novas ideais, olhar o cliente, ver como ele tá agindo e qual sua necessidade e melhorar”, conta Vianna, que revela: “Sou entusiasta da Rede Imóveis. Acredito que sempre estaremos evoluindo, antenados com as novidades de mercado. A Rede está aí pra ficar, e sempre em evolução Acredito muito nisso”.

Sobre a Rede Imóveis

Com 27 anos de atuação e pioneira na formação de Redes Imobiliárias no Brasil, a Rede Imóveis é uma associação de 11 imobiliárias tradicionais de Curitiba, com o objetivo de facilitar a negociação de quem quer comprar, vender ou alugar imóveis. A Associação Rede Imóveis é formada pelas empresas: Galvão Locações, Imobiliária Razão, Kondor Imóveis, Baggio Imóveis, Imobiliária Cilar, Cibraco Imóveis, Galvão Vendas, Imobiliária 2000, Futurama Imóveis, Habitec Imóveis e Paulo Celles Imóveis.